Três dias após ser crucificado, Jesus não estava na gruta que foi seu sepulcro. Alguns dizem que os discípulos de Jesus roubaram o seu corpo. Se isso for verdade, por que eles morreriam por algo que eles sabiam que era mentira? Você morreria?

E o caso deles não foi um suicídio em massa, no qual se uniram numa encenação ilusória. Cada um deles deixou família e emprego, viajando para países distantes, pregando que Jesus morreu e ressuscitou. Se os discípulos estivessem inventando tudo, cada um deles escolheu morrer prematuramente por algo que eles sabiam que não era verdade. Isso não faz sentido.

O que realmente faz sentido são os fatos históricos. Mesmo enquanto eram torturados, os discípulos insistiram que eles, tal como centenas de outros judeus, tinham visto Jesus vivo. Quando alguns foram presos e ordenados a não falarem sobre a ressurreição de Jesus, eles responderam: “Não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido!”

Eles sabiam que Jesus tinha sido surrado, chicoteado, pregado em uma cruz para morrer numa exibição pública. Uma lança foi transpassada na lateral de seu corpo para confirmar a sua morte. Soldados romanos montaram guarda na frente no sepulcro porque Jesus tinha afirmado que três dias depois de ser crucificado, ele ressuscitaria dos mortos.

No terceiro dia, os guardas fugiram; uma rocha de duas toneladas que selava a entrada do sepulcro estava lá em cima numa ladeira e o corpo de Jesus tinha desaparecido. Dentro da gruta, Pedro e João viram os panos que envolviam Jesus ainda lá, vazios.

Depois disso, os discípulos viram Jesus vivo por várias vezes. Eles ainda tiveram longas conversas e comeram com ele — depois de sua morte por crucificação. Estes discípulos chegaram ao momento de suas mortes proclamando sobre o que não tinham dúvida alguma — que Jesus tinha ressuscitado dos mortos, provando que ele era tudo o que tinha declarado ser: o Filho de Deus.

André morreu crucificado; Bartolomeu, surrado e depois crucificado; Tiago, filho de Alfeu, apedrejado até a morte; Tiago, filho de Zebedeu, decapitado; João, exilado por causa da sua fé, morreu por velhice; Judas (não o Isacariotes) e Matias, apedrejados até a morte; Mateus e Tomás, perfurados com lanças até a morte; Pedro, crucificado de cabeça para baixo; Filipe e Simão, crucificados.

Qual a sua opinião? Talvez você nunca precise morrer por causa do que crê sobre Jesus como eles morreram, mas você pode ter a mesma certeza que eles tiveram. Para aprender mais sobre Jesus e os fatos da sua ressurreição, leia “João” na Bíblia. E veja o artigo “Mais que uma fé cega“.


Como começar um relacionamento com Deus

Tenho uma pergunta…