Por que as pessoas ficam com câncer? Por que existem terremotos que destroem cidades inteiras? Por que as pessoas têm de trabalhar tão duro para mal ter dinheiro suficiente para alimentar suas famílias?

No subconsciente, provavelmente nos fazemos perguntas desse tipo muitas vezes. Mas, conscientemente, é raro fazermos. Estamos tão ocupados vivendo as nossas vidas que raramente paramos e temos curiosidade de saber POR QUÊ.

Então, alguma coisa acontece para nos despertar. Nossos pais se divorciam. A garota da rua de baixo é seqüestrada. Um parente descobre que tem câncer. Isso nos acorda por um pouco de tempo. Mas depois podemos novamente nos afundar na negação, isto é, até que outra tragédia aconteça, outra inconveniência. Assim tendemos a pensar: Alguma coisa não está certa aqui. Algo está muito, muito errado. A vida não era pra ser assim!

Então, POR QUE coisas ruins acontecem? POR QUE o mundo não é um lugar melhor?

Existe uma resposta para a pergunta POR QUE, encontrada na Bíblia. Mas não é uma resposta que a maioria das pessoas gosta de ouvir: o mundo é do jeito que é porque é o mundo que nós, de certo modo, pedimos.

Parece estranho, não?

O que ou quem poderia fazer este mundo diferente do que ele é? O que ou quem poderia garantir que a vida seja livre de dor, para todo mundo, o tempo todo?

Deus poderia. Deus poderia dar conta disto. Mas ele não o faz. Pelo menos não agora. E, em conseqüência disso, estamos zangados com ele. Nós dizemos: “Deus não pode ser todo poderoso e completamente amoroso. Se ele fosse, este mundo não seria do jeito que é!”

Dizemos isso com a esperança de que Deus vá então mudar de atitude sobre esta questão. Nossa esperança é que, colocando um sentimento de culpa nele, ele vá mudar a sua maneira de agir. Mas Deus não parece mover um dedo. POR QUE ele não age?

Deus não vai se mover — ele não vai mudar as coisas agora — porque está nos dando o que pedimos: um mundo onde nós tratamos Deus como se ele estivesse ausente e fosse desnecessário.

Lembra-se da história de Adão e Eva? Eles comeram o “fruto proibido”. Este fruto era o conceito de que eles poderiam ignorar o que Deus disse ou deu a eles, e começar uma vida separada de Deus. Adão e Eva tiveram a esperança de que seriam como Deus, sem Deus. Eles compraram a idéia de que havia alguma coisa mais valiosa na existência do que o próprio Deus, algo que valesse mais a pena do que ter um relacionamento pessoal com Deus. E o sistema deste mundo — com todos os seus defeitos — veio como o resultado da escolha que eles fizeram.

A história deles é a história de todos nós, não é? Quem já não disse — se não em alta voz, pelo menos em seus corações — “Deus, eu acho que posso fazer isso sem você. Eu só quero fazer sozinho. De qualquer forma, obrigado pela oferta.”

Todos nós tentamos fazer a vida dar certo sem Deus. Por que fazemos isso? Talvez porque todos nós compramos a idéia de que exista algo que valha mais a pena, que seja mais importante, do que Deus. Para pessoas diferentes as coisas são diferentes, mas o modo de pensar é o mesmo: Deus não é o mais importante na vida. De fato, posso viver minha completamente sem ele.

Qual é a resposta de Deus para isso?

Ele permite. Muitas pessoas experimentam conseqüências dolorosas da escolha de outros ou da sua própria escolha que vão contra os caminhos de Deus… assassinato, abuso sexual, ambição, mentira/fraude, calúnia, adultério, seqüestro, etc. Todas essas coisas podem ser explicadas por pessoas que recusaram dar a Deus acesso e influência em suas vidas. Vão vivendo as suas vidas da maneira que acham melhor, e eles e outros sofrem.

Qual é a posição de Deus sobre tudo isso? Ele não é orgulhoso. De fato, Deus pode ser corretamente visto como aquele que toma a iniciativa, com compaixão, esperando que nós voltemos para ele para que então possa nos dar uma vida de verdade. Jesus disse: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” (Mateus 11:28) Mas nem todos têm o desejo de ir até ele. Jesus comentou sobre isso quando disse:“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que são enviados a ti! Quantas vezes eu quis reunir os teus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas não quiseste.” (Mateus 23:37) Mais uma vez, Jesus traz à tona o assunto sobre nosso relacionamento com ele:“Falando novamente ao povo, Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida.” (João 8:12)

Mas e quando a vida não é justa? E quanto a essas horríveis circunstâncias que nos atingem na vida; são causadas por alguém que não nós mesmos? Quando nos sentimos vítimas, é de alguma utilidade sabermos que Deus enfrentou tratamentos horríveis dos outros. Deus entende mais do que ninguém o que você está passando.

Não há nada na vida que possa ser mais doloroso do que o que Jesus enfrentou pelo nosso bem; quando ele foi abandonado pelos seus amigos, ridicularizado por aqueles que não iriam acreditar nele, surrado e torturado antes da crucificação; depois pregado na cruz, numa vergonhosa exibição pública, morrendo lentamente asfixiado. Ele nos criou, e ainda assim permitiu que a humanidade tivesse liberdade para fazer isso, para cumprir as Escrituras e para nos libertar do pecado.

Nada foi surpresa para Jesus. Ele sabia do que estava por vir; sabia antecipadamente de todos os detalhes, de toda a dor, de toda a humilhação. “Enquanto estava subindo para Jerusalém, Jesus chamou em particular os doze discípulos e lhes disse: ‘Estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do homem será entregue aos chefes dos sacerdotes e aos mestres da lei. Eles o condenarão à morte e o entregarão aos gentios para que zombem dele, o açoitem e o crucifiquem. No terceiro dia ele ressuscitará.'” (Mateus 20:17-19)

Imagine saber que algo assim tão terrível vai acontecer com você. Jesus entende o que é angustia emocional e psicológica. Na noite em que Jesus sabia que iriam prendê-lo, ele foi orar, mas levou alguns amigos com ele.“Levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Disse-lhes então: ‘A minha alma está profundamente triste até à morte. Fiquem aqui e vigiem comigo.’ Indo um pouco mais adiante, prostrou-se sobre seu rosto e orou: ‘Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas como tu queres.” (Mateus 26:37-39) Embora Jesus confiasse em seus três amigos, eles não entendiam a profundidade de seu tormento, e quando Jesus retornou da oração, os encontrou dormindo. Jesus entende o que é passar por extrema dor e tristeza sozinho.

Isso está aqui resumido, como João descreve em seu evangelho: A Palavra estava no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dela, mas o mundo não a reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não a receberam. Contudo, aos que a receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus.” (João 1:10-12) “Pois Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para

Não há dúvida de que existe dor e sofrimento neste mundo. Um pouco deles podem ser explicados pelo egoísmo, ações odiosas da parte de outras pessoas. Outros casos desafiam uma explicação nesta vida. Mas Deus nos oferece ele mesmo. Deus nos dá conhecimento de que ele também enfrentou isso, e está ciente da nossa dor e de nossas necessidades. Jesus disse aos seus discípulos: “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os seus corações, nem tenham medo.” (João 14:27 ) Existem muitas razões para ter medo, se perturbar, mas Deus pode nos dar sua paz, que é maior do que o problema diante de nós. Afinal Ele é, Deus, o Criador, Aquele que sempre existiu, Aquele que criou o universo num estalar de dedos.

Ainda mesmo, em todo seu poder, ele também é aquele que nos conhece intimamente, até mesmo nos menores e insignificantes detalhes. E se confiarmos a ele com as nossas vidas, tendo fé, embora encontremos dificuldades, ele irá nos guardar em segurança. Jesus disse: “Eu lhes disse estas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo.” (João 16:33) Ele passou por uma das piores ameaças–a morte–e a venceu. Ele pode nos ajudar a passar pelas circunstâncias difíceis da vida, e nos dar a vida eterna, se confiarmos nele.

Nós podemos ainda passar por esta vida com ou sem Deus. Jesus orou: “Pai justo, embora o mundo não te conheça, eu te conheço, e estes sabem que me enviaste. Eu os fiz conhecer o teu nome, e continuarei a fazê-lo, a fim de que o amor que tens por mim esteja neles, e eu neles esteja.” (João 17:25,26)

Para descobrir como você pode começar um relacionamento com Deus, por favor, leia o artigo Conhecendo Deus pessoalmente.


Como começar um relacionamento com Deus

Tenho uma pergunta…