(por Stacy James)

A maior questão sobre o mal é, “Por que Deus não impede que aconteça?” Se Deus realmente é um ser poderoso e bondoso, por que Ele não faz alguma coisa?

Primeiro de tudo, Deus não criou o mal; Ele permite que ele ocorra. Quando originalmente criou o mundo, Ele criou todas as coisas boas. Ele criou as pessoas, no entanto, com a liberdade de escolha. Isso inclui a liberdade de escolher o que é certo ou errado. Freqüentemente essas escolhas ruins trazem conseqüências que terminam machucando a nós mesmos ou a outras pessoas, muitas vezes vítimas inocentes que nem sequer mereciam isso.

Quando era estudante universitária, eu fiquei paralítica num acidente de mergulho. Deus não me empurrou na água para me punir ou necessariamente me ensinar uma lição; eu escolhi mergulhar dos ombros do meu amigo. Tão horrível como foi as conseqüências, eu não posso culpar a ninguém, senão eu mesma.

Com certeza, Deus poderia intervir e controlar tudo nas nossas vidas–o bom e o mau–mas então, nós seríamos meramente robôs e não verdadeiramente livres. Ele ainda poderia nos forçar a amá-Lo se Ele quisesse, mas amor forçado não é amor verdadeiro. Ele nos dá a liberdade para escolhê-Lo ou não, a liberdade para viver e aproveitar a vida e a liberdade para tomar decisões certas ou erradas. Infelizmente, só nos resta lidar com as conseqüências das nossas ações e das de outras pessoas.

O autor C. S. Lewis disse que 80% do sofrimento vem da maldade moral da humanidade. Então o que dizer sobre os outros 20%? Há algumas coisas que nós nunca entenderemos verdadeiramente aqui na Terra.

No entanto, existem boas notícias. Primeiro, o Deus de amor é também um Deus de justiça. Para todos aqueles que fizeram escolhas erradas, machucaram vítimas inocentes, e não foram punidos, é chegado um tempo em que eles sofrerão as conseqüências das suas ações. Deus é o Último Juiz, e no devido tempo, Deus julgará todo mundo pelos seus feitos. “E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, toda as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos que prestar contas” (Hebreus 4:13).

Segundo, Deus usa freqüentemente as experiências da vida para um bem ainda maior, freqüentemente para desenvolver nosso caráter e nos fazer pessoas melhores. E nós estaremos aptos a ajudar outras pessoas em circunstâncias semelhantes. Eu venho sendo capacitada a ajudar outros estudantes deficientes (depois que meu caráter foi transformado de complacência para compaixão!). Momentos difíceis também nos forçam a ver o que é importante na vida, e geralmente nos levam a Deus quando nada mais o faria. Nós percebemos a importância da fé, do amor, do carinho, da família e dos amigos.

Terceiro, Deus providenciou uma solução. É chegado o tempo em que não haverá mais sofrimento. No céu, as pessoas desfrutarão de um paraíso além da imaginação. Deus criou um lugar de glória eterna onde não haverá mais choro, dor, doença, ou morte; um lugar onde as pessoas compartilharão da Sua glória para sempre.

Finalmente, Deus cuida. Ele nunca prometeu que a vida seria sem problemas, mas Ele prometeu estar conosco. O próprio Jesus sentiu amor, compaixão, e tristeza, e atraiu como um imã aqueles que estavam feridos. Deus, no Seu amor, quer um relacionamento conosco. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16)


Como começar um relacionamento com Deus

Tenho uma pergunta…